Prevenção e Tratamento do Pavimento Pélvico da Mulher

Prevenção e Tratamento do Pavimento Pélvico da Mulher

Free

About this course

 

Os distúrbios do pavimento pélvico ocorrem somente em mulheres e tornam-se mais comuns à medida que envelhecem. Aproximadamente uma entre 11 mulheres precisa de cirurgia para um distúrbio do pavimento pélvico durante a sua vida.

O pavimento pélvico é uma rede de músculos, ligamentos e tecidos que funcionam como uma rede de sustentação para os órgãos da pelve: o útero, a vagina, a bexiga, a uretra e o reto. Se os músculos enfraquecerem ou os ligamentos ou tecidos forem esticados ou danificados, os órgãos pélvicos ou o intestino delgado podem cair e ficar salientes dentro da vagina. Se o distúrbio for grave, os órgãos podem ficar salientes através da abertura da vagina e para fora do corpo.

 

 

Os distúrbios do pavimento pélvico geralmente resultam de uma combinação de fatores, nomeadamente:

 

  • Ter um bebé, particularmente se o parto for vaginal
  • Ser obesa
  • Sofrer lesões, como pode ocorrer durante uma histerectomia (remoção do útero) ou outro procedimento cirúrgico
  • Envelhecimento
  • Fazer com frequência coisas que aumentam a pressão no abdômen, como fazer força durante a evacuação ou levantar objetos pesados

 

 

A fisioterapia na área de urogineproctologia, sendo um tratamento conservador, está indicada como a primeira opção terapêutica para a prevenção e tratamento das disfunções do pavimento pélvico .

As disfunções do pavimento pélvico englobam muitas condições clínicas na esfera da pélvis e períneo, que podem ocorrer quando os músculos do pavimento pélvico estão fracos ou tensos, ou quando existem problemas na articulação sacro-íliaca, coluna lombar, cóccix ou anca.

 

 

Principais Condições Clínicas 

 

  • Incontinência urinária,
  • bexiga hiperativa,
  • prolapso dos órgãos pélvicos,
  • recuperação pós-parto,
  • dor pélvica,
  • coccigodinia,
  • dor perineal,
  • disfunções sexuais,
  • incontinência gases ou fezes,
  • obstipação crónica,
  • enurese, entre muitos outros.

 

 

Principais Causas

 

As condições clínicas descritas anteriormente, podem ser uma consequência de:

 

  • gravidez ou parto,
  • má postura devido a dor lombar crónica,
  • disfunção da articulação sacro-ilíaca,
  • trauma,
  • cirurgia,
  • ou mesmo aparecimento súbito.

 

 

Tal como nos músculos de qualquer outra parte do corpo, o pavimento pélvico pode estar em tensão o que provoca uma alteração do equilíbrio muscular. Logo, apenas fortalecer esta musculatura pode contribuir para um agravamento desse desequilíbrio pois a força muscular não irá aumentar devido à tensão muscular existente.

É, por isso, importante avaliar e diferenciar cada situação já que as técnicas de tratamentos também são diferentes.

 

A fisioterapia pelviperineal proporciona a reeducação perineal e abdominal, em conjunto com uma reeducação da estática lombo-pélvica. É um trabalho que engloba um aumento da percepção e consciencialização corporal, através do ensino (abordagem comportamental, treino de bexiga, diário miccional ou defecatório) e de um trabalho proprioceptivo, sendo necessário em algumas situações específicas tratar cicatrizes, zonas dolorosas ou pontos dolorosos do pavimento pélvico, por exemplo.

 

A palpação manual é fundamental tanto na avaliação como no tratamento de qualquer disfunção do pavimento pélvico uma vez que permite:

 

  • identificar as zonas de tensão
  • promover a sua libertação muscular
  • ensino dos padrões corretos de ativação muscular

 

Adicionalmente, a utilização das imagens em tempo real obtidas através da ecografia funcional (biofeedback ecográfico) permitem confirmar os padrões de libertação e ativação musculares.

 

Quando indicado, o tratamento pode incluir:

 

  • terapia manual externa e interna para mobilização dos tecidos moles
  • incluíndo libertação miofascial
  • libertação de trigger points (pontos gatilho)
  • manipulação visceral
  • massagem profunda dos tecidos
  • técnicas de relaxamento
  • biofeedback
  • estimulação elétrica
  • neuroestimulação elétrica transcutânea

 

 

Estes tratamentos são eficazes, com bons resultados e com mínimo risco para os pacientes.

 

 

 

Conteúdos da formação:

Introdução: Necessidades e Objetivo do Curso

 

Anatomia e Fisiologia do Períneo

 

Avaliação da Função Perineal: Teoria e Prática

 

Lesões Perineais: Diagnóstico e Classificação das Disfunções

 

Exercícios Práticos de Mobilização do Pélvis e Períneo

Comportamento do Pélvis e Pavimento Pélvico na Gravidez, Parto e Pós-Parto

 

Avaliação Perineal: Teste Muscular, Tropismo, Neurologia e Funcionalidade

 

Diafragma, Abdominais e Períneo: Unidade Funcional

 

Casos de Abordagem Clínica

 

 Evidências Científicas sobre Opções de Tratamento Perineal

 

Principais Disfunções Perineais: Avaliação

 

 Cicatrizes: Fases, Evolução e Tratamentos

 

 Principais Tratamentos Perineais e Competências Profissionais

 

 Trabalho em Equipa: Da Teoria à Prática

 

 Exercícios Práticos de Propriocepção Perineal

 

 Cinesiterapia e Dispositivos Intracavitários: Vibradores, Bolas Chinesas, Cones, Pesos e Dilatadores

 

 Eletroterapia, Radiofrequência, Laser, Magnetoterapia e outras Técnicas de Fisioterapia para Tratamentos Perineais

 

 Técnicas e Métodos de Trabalho de Corpo Global: Hipóxitos, GDS, 5P e outros

 

 Técnicas de Relaxamento e Visualização Focadas no Trabalho Perlvepercial

 

 Exercícios Específicos para a Gravidez e Pós-Parto

 

Exposição de Casos Clínicos: Resultados

 

Avaliação Final

 

 

 

 

Objectivos Gerais:

 

  • Aumentar o conhecimento e competências dos profissionais em relação à atividade pelviperineal feminina ao longo da vida e vital de cada vez.
  • Conhecer e administrar as opções de tratamento para o tratamento pelviperineal atendendo às competências profissionais.

 

 

Objectivos Específicos:

 

  • Descrever a anatomia e a fisiologia da estrutura pelviperinária
  • Reconhecer a biomecânica do Pélvis e do sólo Pélvico durante a gravidez, o parto e o pós-parto
  • Avaliar corretamente a musculatura perineal e as estruturas adajacentes
  • Detecção de problemas de funcionalidade pelviperiana
  • Administrar com habilidade as diferentes possibilidades terapêuticas. Diferenciar os critérios de referência a outros profissionais
  • Conhecer as competências profissionais das parteiras e fisioterapeutas para poder colaborar em equipas de trabalho abrangentes
  • Diferenciar as possibilidades de tratamentos de lesões perineais e ajustar as opções a cada mulher
  • Administrar com habilidade ferramentas de diagnóstico e tratamento
  • Conhecer e manusear ferramentas adequadas para a saúde sexual e reprodutiva das mulheres, fornecendo-as com habilidades para o auto-cuidado

 

 


 

 

Publico alvo:

Fisioterapeutas e Estudantes de Fisioterapia

Data:

 

Seminário 1: 8, 9 e 10 de Novembro de 2019

Seminário 2: 6, 7 e 8 de Dezembro de 2019

 

 

Duração: 40h

 

 

Horário:

Sexta: 9h – 20h
Sábado: 9h – 20h
Domingo: 9h – 14h30

 

 

Certificação: Certificado de Formação Profissional

 

 

Vagas limitadas a 20 formandos.

 

 

Inclui cofee-break

 

 

Local da formação:

Avenida Miguel Bombarda, 43 4420-502 Valbom, Gondomar